Viagem ao mundo dos grandes: Juntos contra a procrastinação

11:05 Lorranne 0 Comments

Olá grandes pessoas!
Eu sei que dei uma sumida, mas é porque sinceramente, estou com um grande problema de bloqueio criativo ultimamente. E só vim aqui dizer isso. Aí, estava pensando em fazer um simples Bate- papo quando me deparei com uma reportagem no blog da Superinteressante  Aliás, sou viciada nessa revista. Quando eu tinha 15 anos minhas colegas eram dependentes de uma Capricho, enquanto isso eu me deliciava com uma Superinteressante. Mas voltando, ao assunto, não sou de copiar posts, ou nada do tipo, mas essa foi demais pra mim. Então, leiam e se vocês se identificarem (assim como eu) vamos colocar em prática as dicas? Afinal não custa nada tentar lutar contra esse mal chamado, ~procrastinação~.


Cumprindo suas promessas de Ano-Novo – parte 1: Como parar de adiar as coisas
Vamos começar uma pequena série neste blog com algumas dicas – comprovadas pela ciência e recomendadas por especialistas – para ajudar você a cumprir aquelas promessas que listou no Ano-Novo. O primeiro objetivo será algo que, se não estiver na lista da maior parte das pessoas, pelo menos vai ajudá-las a cumprir outras promessas: parar de adiar as coisas – ou, para ser mais exata, acabar com a procrastinação.
“Tabulando inúmeras pesquisas, cerca de 95% pessoas admitem adiar as coisas, com cerca de 25% delas indicando que essa é uma característica crônica, definidora de sua personalidade”, diz o pesquisador Piers Steel, um dos mais famosos especialistas no tema, em seu livro “A equação de deixar para depois”. Para esse trabalho, ele analisou mais de 800 artigos científicos sobre a procrastinação e desenvolveu sua própria pesquisa, o que o ajudou a chegar tanto ao motivo por que adiamos as coisas quanto a métodos que podemos usar para diminuir esse hábito.No geral, existe um fator que ajuda a explicar por que fazemos isso. Há quem acredite que tem a ver com o perfeccionismo: a pessoa, ansiosa demais em tentar fazer um trabalho perfeito, acabaria protelando indefinidamente achando que, em outra ocasião, teria condições mais adequadas para realizá-lo. Embora possa confortar os procrastinadores (afinal, o perfeccionismo é muitas vezes uma daquelas características que as pessoas adoram usar quando perguntam qual o seu maior ‘defeito’), isso não é verdade.Dos milhares de procrastinadores já estudados, apenas um grupo ínfimo mostrou ser perfeccionista. Na verdade, o psicólogo e terapeuta Robert Slaney, criador de uma escala para medir o perfeccionismo, descobriu que essas pessoas tinham menos probabilidade de adiar do que os não-perfeccionistas, e não mais. Por que é que eles levaram a fama, então? Segundo Steel, é simples: os perfeccionistas que adiam as coisas têm mais probabilidade de procurar a ajuda de um terapeuta (já que se tendem a se sentir pior com os efeitos dos atrasos) e, assim, acabam aparecendo mais vezes nas pesquisas clínicas sobre adiamentos. Já os proteladores não perfeccionistas são menos propensos a procurar ajuda profissional.
Ok, mas se a razão não é o perfeccionismo, qual seria, então? Piers Steel responde:
“Trinta anos de estudos e centenas de pesquisas isolaram várias características de personalidade que servem para prever protelações, mas uma delas de destaca (…): a impulsividade, isto é, viver impacientemente o momento e querer tudo de imediato. Demonstrar autocontrole ou adiar uma recompensa é difícil para as pessoas impulsivas.”
Algumas tarefas causam ansiedade em todo mundo, mas a impulsividadeinfluencia muito a forma como cada um de nós lida com isso. Ela geralmente faz os menos impulsivos quererem começar logo o projeto em questão. Já para os mais impulsivos pode ocorrer o oposto e eles acabam caindo na procrastinação.
“Os impulsivos tentam evitar temporariamente uma tarefa que gera ansiedade ou tirá-la da consciência, uma tática que é absolutamente perfeita, se você pensar no curto prazo. Além disso, a impulsividade faz com que os proteladores sejam desorganizados e distraídos ou (…) os faz sofrer de pouco controle sobre os impulsos, falta de persistência, falta de disciplina no trabalho, incapacidade de gerenciar bem o tempo e incapacidade de trabalhar metodicamente. Em outras palavras, acham difícil planejar seu trabalho antes da hora, e mesmo depois que começam, se distraem facilmente.”
O otimismo excessivo é outro fator que ajuda a atrapalhar sua vida. Ele pode levar à “falácia do planejamento”, que é quando as pessoas calculam mal o tempo que levarão para executar uma tarefa – e, assim, atrasam o seu início. É como quando você diz “posso escrever meu relatório em meia hora, então não preciso começar tão cedo” e acaba descobrindo, dez minutos antes do prazo acabar, que a coisa é bem mais demorada do que você imaginou.
E aí, se identificou? Então, agora que você entendeu um pouco melhor as causas do problema, vamos às dicas para que consiga vencê-lo. Papel e caneta na mão:
  • Determine o que pode dar errado e distraí-lo no caminho para o seu objetivo etome medidas para evitar essas coisas. Por exemplo, se seu problema for ficar no Facebook, desligue seu smartphone para não receber notificações e nem abra o site até terminar seu trabalho. Ou, se puder, desligue a sua conexão com a internet.
  • Faça uma lista das maneiras como você normalmente adia as coisas e pregue-a em seu local de trabalho.
  • Admita que você é viciado em atrasos. Faça uma pausa para refletir sobre quantas vezes já adiou os seus planos e entrou numa enrascada por causa disso. Comece a fazer um registro diário para monitorar esse hábito.
  • Admita que você vai tentar se enganar de novo, pensando coisas como “vou checar o Facebook antes de terminar meu trabalho, mas vai ser só mais desta vez”. Isso vai acontecer muuuitas vezes, ainda. Tente não se deixar enganar.
  • Aceite o fato de que o primeiro atraso permite que você justifique todos os seguintes. Fazendo isso, você vai ter muito menos chance de dar o primeiro passo.
  • Tire tempo para reconhecer e recompensar seu progresso. Faça uma lista das recompensas que pode se dar, como comprar aquele game que tanto queria, uma roupa nova ou uma cerveja com os amigos.
  • Reserve um tempo para o lazer. Ninguém consegue passar 100% do tempo trabalhando – ter um tempo para fazer as coisas de que se gosta é essencial. Assim, satisfaça suas necessidades antes que elas se tornem intensas demais e o distraiam de seu trabalho. Só saiba equilibrar bem o tempo.
  • Ao se confrontar com tentações que o distraiam, concentre-se em aspectos que as façam menos atraentes. Por exemplo, se bateu aquela vontade de comer aquela torta de chocolate, pense nela como uma simples mistura de gordura e açúcar.
  • Quando possível, separe bem seu lugar de trabalho e o de lazer – e deixe o espaço de trabalho o mais organizado possível para evitar distrações. Se quiser, decore-o com mensagens ou imagens que façam você se lembrar de seus objetivos e de por que está trabalhando.
  • E, o mais importante (é, deixamos o melhor para o final): estabeleça metas precisas, de modo que você saiba exatamente quando terá de atingi-las e o que terá de fazer para isso. Por exemplo, em vez de dizer “Vou fazer meu relatório de despesas”, sua meta precisa ser “Juntar todos os meus recibos, agrupá-los e registrá-los até amanhã, na hora do almoço”. Viu a diferença? Quando o objetivo for complexo, divida-o em pequenas metas de curto prazoque o ajude a chegar lá.
  • Estabeleça rotinas e inclua suas metas aí.A rotina é sua amiga e o ajudará a criar bons hábitos, se você se permitir. Assim, abra a sua agenda e marque as tarefas que terá sempre de realizar.

Que outras promessas de Ano-Novo você fez?

Gostaram?
Eu achei super interessante, rs.
Mas enfim, vou tentar publicar a série inteira desse Cumprindo as metas de ano-novo, porque chega de promessas não cumpridas não é mesmo? 

0 grandes pessoas comentaram: