Gentileza gera gentileza, em NYC

22:24 Mônica Ribeiro 0 Comments




Uma das coisas que mais me alegram o coração é a tal da gentileza. Tem coisa mais linda do que ver a pessoa ser legal com você sem esperar algo em troca? Tem não!
Sabe aquela velha história de que americano é egoísta e está pouco se lixando pra você? Então, é pura mentirinha! Desde que me mudei pra os Estados Unidos venho me impressionando cada vez mais pela simplicidade e gentileza da maioria das pessoas que vivem por aqui.

Tem vários pequenos atos que eu estranhei um pouco no inicio, mas que agora me apeguei tanto que... Nossa! Bem, por exemplo, quando alguém espirra, SEMPRE s-e-m-p-r-e sEmPrE sai algum 'Bless you'; outro fato é que aqui tem muita porta (muita), e quando alguém abre e você está chegando para entrar no mesmo lugar, a pessoa na maioria das vezes te espera e fica segurando a porta pra você passar (meu Deus, nem minha irmã fazia isso por mim) e aí tem aquela troca de agradecimentos. E os motoristas de ônibus? Dá vontade de botar num potinho e levar pra casa!!! Quando você desce ou entra, eles te desejam bom dia, te elogiam ou até mesmo falam para você se cuidar. E, claro, sempre quando os passageiros descem do ônibus, eles soltam um obrigada pelo serviço deles. Até mesmo as pessoas que trabalharam nos supermercados (ou qualquer outro estabelecimento) são super gentis, ao contrário do Brasil, que tem muita gente que não faz questão nenhuma em te ajudar ou no mínimo de te tratar como um cliente.

Já tiveram muitas pessoas de várias culturas que já me ajudaram sem eu nem pedir. Pessoas que nem me conheciam, mas que ao me ver naquele momento de sufoco, por instinto me deram uma força pra resolver o meu problema. Eu poderia listar um monte de situações e dizer o quanto sou grata a cada uma delas! Mas, dessa vez, eu quero falar de uma menininha linda, dos olhos grandes e pretos que mostravam toda a luz dela.
Bem, lá estava eu no Grand Central Terminal observando o pessoal na Whispering Corner e morrendo de vontade de brincar daquilo também. Nesse dia eu estava sozinha, pois estava só de passagem e iria pegar um ônibus para visitar uma amiga em Massachusetts. Essa menininha estava sussurrando na esquina com a mãe dela... E, nossa, eu queria muito testar aquilo também. Eu não sei explicar, mas teve algo nela (talvez os olhos negros ou o jeito todo meigo) que chamou muito a minha atenção, então cheguei perto e a perguntei se aquilo funcionava mesmo e com um sorrisão estampado no rosto, ela disse que sim. Não consegui me segurar, acabei convidando-a para testar aquilo comigo e ela aceitou. Tanto ela e a mãe dela foram super gentis, soltamos algumas frases pelos azulejos da Whispering Corner (gente, funciona mesmo, parece que a pessoa está ali do seu lado conversando com você) e depois fui agradecer pela experiência bacana. Fiquei com muita vontade de tirar uma foto com ela, mas mas mas a minha vergonha foi maior (vai que ela pensava que eu era uma maníaca? hahahah).
Espero que essa gentileza que eu aprendi a expressar nesses 10 meses de intercâmbio não desapareçam quando eu voltar para o Brasil.

Dizem que gentileza gera gentileza, certo? Assim eu espero.

Até!

Mônica Ribeiro
(Depois de desistir de vários textos, resolvi continuar firme com esse e finalmente postar. Desculpa pela demora e muito obrigada pelo convite de compartilhar meus pensamentos aqui, Lô!)

0 grandes pessoas comentaram: