Algumas incoerências da educação brasileira

18:05 Lorranne 0 Comments


Ignorando a montagem tosca, vamos falar um pouco sério agora.
Como já contei por aqui, esse ano comecei um novo momento da minha vida e estou fazendo faculdade. No caso, tive a grande felicidade de ser uma das várias pessoas privilegiadas que conseguiram uma vaga no ensino público superior. E como boa pessoa crítica que sempre fui, um dia desses estava pensando em como nosso sistema público de ensino é incoerente. Pra você entender meu raciocínio resolvi pegar só algumas questões, que eu considero as mais gritantes, e vou dar uma resumida por partes.
Primeiro, eu estudei minha vida inteira em escolas públicas, nunca fiz cursinhos nem nada, e mesmo assim consegui entrar em uma faculdade, também, pública. E percebi uma coisa: a escola pública, não te prepara para o ensino superior público. E não estou falando daquelas dificuldades de ritmo, que todo aluno encontra quando sai do ensino médio para o superior. Os níveis são simplesmente incompatíveis, uma universidade federal te exige uma bagagem de conhecimento que as escolas públicas não oferecem. Falo com isso com base, não só na minha experiência, como na de outros colegas, de período ou não, que tiveram a formação igual ou parecida com a minha.
Outro fato interessante e um tanto até revoltante, a sociedade atual, não está preparada para os profissionais que ela irá receber. Esse é um problema não relacionado à estudantes de universidades públicas, mas de estudantes em geral. Passamos anos de nossas vidas estudando, nos esforçando, buscando nos tornar os melhores nas nossas áreas, e aí quando nos formamos, temos dificuldades gritantes no mercado de trabalho, e quando temos a sorte de conseguir uma chance de trabalhar na nossa área de formação, geralmente, a remuneração não é condizente com todo o esforço. É muito comum ouvir pelos corredores, ou até mesmo de professores, que se você quiser ser um profissional bem valorizado, é melhor sair do país. E isso é completamente absurdo!
Não faz o menor sentido eu, por exemplo, me formar engenheira de alimentos, em uma universidade pública, "bancada" pelos contribuintes do meu país e quando me formar, ofertar o meu trabalho a uma população da França, local onde a maior parte das indústrias alimentícias mantêm suas equipes de pesquisa e desenvolvimento (área que até o momento mais me chama atenção, rs).
Isso me faz pensar em como não só nosso sistema de ensino é falho, como todo o nosso sistema precisa de uma mudança geral. O que faz com que o exterior seja mais atrativo para as grandes empregadoras? Porque nossas escolas públicas não podem ter um ensino mais centrado e mais condizente com o que o futuro irá exigir?

0 grandes pessoas comentaram: